SENSUALIDADE E OSTENTAÇÃO NO VESTUÁRIO


“Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, não é do Pai, mas do mundo.”I Jo. 2:15

O que o mundo oferece quanto ao vestuário, é para satisfazer o desejo dos olhos e o orgulho da vida; essas coisas não são do Pai e sim do mundo. Isto nos leva a concluir que quando vemos uma pessoa vestida de acordo com a moda mundana, não estão no Pai, mas pertencem ao mundo.
Deveríamos sentir tristeza por nossos irmãos que se deixam seduzir pela moda, pois ainda se encontram presos no mundo, e apesar de professarem estar com o Pai, pertencem ao mundo.

Um importante fator que precisamos entender em nossa psicologia comportamental, é que quando vemos alguém contrário àquilo que professamos, temos de nos compadecer e sentir tristeza. Normalmente nos irritamos e condenamos, mas a atitude correta quando vemos uma pessoa em erro, deve ser de compaixão e tristeza. A pessoa esta presa ao mundo.

Quando nos irritamos, revelamos que também não estamos convertidos. Alguns precisam se converter quanto ao vestuário, outros precisam se converter quanto ao temperamento.

Mesmo que essa pessoa já seja membro regular de sua igreja, tenha responsabilidades na congregação, mas exibe a vaidade, a sensualidade, o orgulho e ostentação, não devemos demonstrar indignação, mas nossa compaixão, por não estar convertida totalmente a Jesus.

Normalmente nos indignamos ao ver pessoas trazendo elementos mundanos para a igreja, e isso nos revolta, pois devemos zelar pelo ambiente de adoração, mas devemos ter em mente que as pessoas que fazem isso não estão convertidas totalmente.

Temos mecanismos que podem evitar que uma pessoa que seja vaidosa, orgulhosa e sensual, esteja ocupando o púlpito ou a frente da congregação. Pessoas que tenham esses pecados ainda em seu coração, não devem ser eleitas para os ministérios de louvor, pregação ou outro qualquer.

Dessa forma preservamos a nossa igreja, e preservamos nossos irmãos inconversos. Não é através da crítica e confronto que eliminamos o comportamento pecaminoso, mas através da admoestação (conselho e ensino) e oração.

O testemunho de uma pessoa que usa roupas apertadas, que valoriza as formas do corpo, roupas transparentes ou muito curtas, é um testemunho de que permanecem no mundo. A pureza, modéstia e humildade caracterizam os seguidores de Jesus.

Isso implica que uma pessoa irá seguir os princípios de pureza, modéstia e humildade não só no ambiente de adoração, mas também em todos os lugares que estiver.

Se nossas roupas do cotidiano seguem a erotização que a moda oferece, não estamos testemunhando nossa filiação com Deus, mas que pertencemos ao mundo, e os desejos dos olhos e da carne estão vivos ainda.

As festas, comemorações e encontros sociais revelam quem é de Jesus ou quem pertence ao mundo. São ocasiões de descontração e que colocamos a melhor roupa. A sua melhor roupa é sensual? Sua melhor roupa é extravagante? É aqui que percebemos que o melhor de nós está com o mundo ou com Jesus.

Existe um outro princípio da psicologia que rege nossas emoções, nesses momentos. Geralmente nos sentimos humilhados e desconcertados, quando percebemos que somos poucos ou até os únicos que preservam a pureza, modéstia e humildade; muitos jovens se sentem verdadeiros “ET´s” (extraterrestres) e muitos abandonam seus princípios e vivem de acordo com o mundo porque não querem ser diferentes da maioria.

Mas em vez de nos sentirmos humilhados, deveríamos perceber o valor da humildade; em vez de nos sentirmos desconcertados, deveríamos sentir nossa verdadeira grandeza e destaque, por estamos do lado correto. O que nos faz sentir envergonhados em seguir o correto é nossa natureza carnal, e não devemos permitir que ela nos volte a dominar.

Quando você perceber em um encontro social, que você é a única(o) a estar roupas decentes e modestas, abra um grande sorriso, pois você é um(a) vitoriosa(o)! Quando todos estão vestidos como os mundanos, e não se percebe quem é de Jesus e quem é do mundo, se alegre, pois você estará ali para fazer a diferença!

Não gaste tempo em comentários de acusação aos outros, mas testemunhe e deixe que todos percebam que você esta feliz por representar bem o cristianismo e que é possível dizer não a vaidade.

As pessoas perceberão isto, pois o testemunho do cristão é como a luz que brilha em caminhos escuros. Mat. 5:16 “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras e glorifiquem o vosso Pai, que está nos céus.”

Mas o que seria um vestuário mundano? Teríamos de andar com roupas ao estilo dos apóstolos?

O vestuário mundano que temos de evitar é aquele que segue os padrões do mundo de ostentação, vaidade, sensualismo e vulgaridade; são esses elementos que devemos evitar. A moda mundana que devemos evitar é aquela que traz ao vestuário a ostentação e ao caráter a vaidade; mesmo porque o vestuário é algo universal.

Isso não quer dizer que homens devem estar uniformizados de terno e gravata, e as mulheres com taileurs. Há os estilos que refletem a personalidade e estilo de vida de cada pessoa, mas dentro do estilo esportivo, esportivo-fino ou social deve haver modéstia e simplicidade.

O que seria próprio ao ambiente da igreja? Por sua atmosfera cerimonial, o que a moda indicaria? O que vestem as pessoas para ir a presença de governadores, e presidentes? Por que faríamos diferente com o Rei do Universo? Mas o façamos com modéstia e simplicidade; “...não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes...” Rom. 12:16.

Um comentário:

Anônimo disse...

Essa mensagem veio em momento oportuno na minha vida.
Obrigada Pastor.